Entenda porque 2016 é o ano do Empreendedorismo Virtual

gp-coworking-ganha-destaque-nas-midias-com-smash-do-bem
GP COWORKING ganha destaque nas mídias com Smash do Bem
maio 31, 2016
pizza-no-gp-coworking
Mais uma Startup nasce no GP Coworking
junho 17, 2016

Entenda porque 2016 é o ano do Empreendedorismo Virtual

entenda-porque-2016-e-o-ano-do-empreendedorismo-virtual

A cada ano, surgem novas tendências tecnológicas que prometem transformar o mercado e proporcionar oportunidades nunca antes pensadas. E 2016 é o ano da realidade virtual, também chamada de VR, ou “virtual reality”.

Diante de todo o investimento feito por grandes nomes nessa tecnologia, e pensando em o quanto ela evoluiu em relativamente pouco tempo, não se trata mais de uma questão de “se” a realidade virtual vai decolar, e sim de quem vai estar à frente e quem vai ficar para trás. Além disso, a VR tem tudo para revolucionar o mundo, especialmente o Brasil!

Mesmo assim, muitos setores ainda não se convenceram totalmente do potencial da VR para suas respectivas áreas. Você está inserido em algum deles? Ou está em busca de ideias inovadoras para obter sucesso nos negócios? Então, confira a seguir os oito motivos que fazem de 2016 o ano da realidade virtual.

 

Grandes players estão investindo nisso

Nomes como Facebook, Microsoft, Sony, Samsung, Google, Valve e vários outros estão trabalhando ativamente com a sofisticação da estrutura de realidade virtual que possuímos hoje.

Com isso, cada vez mais outras empresas estarão aptas a utilizar a realidade virtual de maneira eficiente em seus negócios, aproveitando-se de toda a pesquisa e resultados atingidos até agora. Além disso, esses players estão investindo em múltiplas abordagens de VR, indo desde o entretenimento, como games e cinema, até a educação.

 

O acesso à tecnologia está facilitado

Atualmente, VR não é algo inalcançável nem restrito somente a um seleto grupo de entusiastas. Em 2014, o Google lançou o Google Cardboard, uma plataforma de realidade virtual com o diferencial de ser plenamente acessível ao público médio, já que é usada através da união entre um smartphone e uma estrutura de papelão.

A simplicidade do conceito foi capaz de trazer a realidade virtual para uma parcela da população nunca antes atingida. Para 2016, a expectativa é que os principais players da área lancem os seus produtos a preços competitivos, deixando a nova tecnologia no alcance de mais gente. Portanto, a VR já possui um público interessado e disposto a interagir com a novidade.

 

A realidade virtual resulta de outras tendências maduras

O conceito de realidade virtual existe há muito tempo, mas ganhou mais força nos últimos anos graças à evolução tecnológica, que facilitou o seu desenvolvimento. Até então, várias indústrias vinham experimentando e colhendo dados de outros tipos de interfaces fundamentadas na interação, como sensores de movimento e reconhecimento de comandos de voz, para tornar a nossa relação com as máquinas ainda mais sofisticada.

A tecnologia por trás da VR vai utilizar toda a bagagem adquirida nesses experimentos, o que a torna mais robusta e confiável. Nenhuma incursão em VR começa do zero, e a melhor vantagem de começar agora é que podemos aproveitar toda a pesquisa já feita até hoje.

 

A tecnologia possui múltiplas aplicações

Realidade virtual é algo que faz brilhar os olhos daqueles envolvidos com a indústria dos games, mas a VR não serve apenas para isso. Graças a toda a tecnologia envolvida e ao grau de imersão que o conceito proporciona, é possível transformar os campos da educação, da saúde, da história, entre vários outros.

Pessoas poderão ter acesso a tratamentos de terapia completamente únicos, ao poderem lidar com situações adversas através de realidade virtual. Alunos conseguirão visitar locais históricos sem sair da sala de aula, e de ter um contato até então impensável com o conteúdo de história e geografia. E conforme mais empresas se interessam por VR, mais abordagens inéditas podem surgir.

 

A revolução vai acontecer em várias áreas

Basta olhar para a lista de nomes atualmente trabalhando no desenvolvimento da tecnologia de VR para perceber que, daí, vão surgir várias implementações novas. O mundo dos games vai experimentar uma imersão nunca antes conquistada, permitindo aos jogadores se sentir realmente inseridos no espaço virtual de suas aventuras.

Em sua plataforma de realidade virtual, o Facebook está buscando maneiras inovadoras de interagir com a internet. Por fim, a realidade virtual possui tudo para transformar a forma como interagimos com filmes e TV, criando uma experiência anos-luz à frente da última revolução dessa área, o 3D.

 

A VR é um novo meio de comunicação

Tanto pelo elemento de inovação quanto por seu potencial tecnológico, a realidade virtual já vem sendo usada pelas empresas para cativar os seus usuários, com iniciativas experimentais que já mostram bons resultados.

Recentemente, a rede de fast-food McDonald’s deu início a uma campanha em que as suas caixinhas de lanches se transformavam em óculos de realidade virtual, utilizando a tecnologia do Google Cardboard. Uma iniciativa simples que recebeu atenção da mídia global e, certamente, atingiu os objetivos da marca.

Estratégias como essa ilustram todo o poder da realidade virtual para as interações entre o público e as empresas, campo em que existe uma necessidade constante de inovação.

 

A realidade virtual atual é só o começo

Está mais do que claro que 2016 é o ano da realidade virtual. Só que, mais do que isso, este é o primeiro grande momento dessa ideia. Com todo o seu potencial se confirmando ao longo do ano, cada vez mais gente vai se interessar pelo conceito, tornando-o ainda mais sofisticado e versátil.

Estar na crista da onda é importante para qualquer empreendedor, e aproveitar esse movimento da VR é vital. O que for descoberto nos experimentos de hoje será norma seguida pelas empresas amanhã — por isso, é necessário se dedicar a essas descobertas, para ter sucesso com a ajuda dessa tecnologia.

Agora é a hora de os empreendedores brasileiros verem essa tendência e a aproveitarem no Brasil, onde ainda não se tem nenhum grande player investindo na área de realidade virtual.

Os motivos apresentados aqui são mais do que suficientes para qualquer empreendedor enxergar todo o potencial de sucesso embutido em VR. E, com o cenário cheio de nomes estrangeiros, é uma oportunidade de ouro para os brasileiros entrarem no campo e obterem sucesso com a realidade virtual.

Que tal desenvolver um projeto que utilize características do mercado brasileiro para obter sucesso com a realidade virtual? De que forma você pretende trabalhar com VR? Tem outras dúvidas ou sugestões sobre o assunto? Divida com a gente.

 

Fonte: http://blog.rilix.com.br